terça-feira, 4 de outubro de 2011

Crença


"Crês que há um só Deus e fazes o bem.
Mas os demônios também o crêem e Estremecem."
(Thiago, 2:19).
Alguns momentos de reflexão no Evangelho sacodem-nos o raciocínio, para que
venhamos despertar no reconhecimento de nossas responsabilidades em matéria de
crença.
Asseveramos, a cada passo, a convicção iniludível, quanto à existência de Deus.
Habitualmente, enquadramos à vida mental a d eterminado tipo de interpretação religiosa,
a fim de reverenciá-lo, através do modo que supomos mais digno.
Construímos santuários para honrar-lhe a munificência.
Pretendemos enobrecê-lo em obras de arte.
Sabemos admirar-lhe a sabedoria, seja na grandeza do firmamento ou na simplicidade do
chão.
Certificamo-nos de que as suas leis são inelutáveis, desde as que foram estatuídas para a
semente até as que traçam caminho às constelações.
Articulamos preces em louv or ou de súplica, nas quais lhe endereçamos os anseios mais
íntimos.
Receitamos confiança em Deus para todos aqueles que ainda não conseguiram
entesourá-la.
Ás vezes, chegamos até mesmo ao entusiasmo infantil dos que imaginam adivinhar
as opiniões de Deus, nisso ou naquilo.
Todas essas atitudes nascem da pessoa que reconhece a imanência de Deus.
Entretanto, os Espíritos perversos também sabem que Deus existe.
Crença por crença, há crença nos planos superiores, e há crença nos planos inferiores.
Meditemos nisso para considerar que, acima de tudo, importa saber o que estamos
fazendo de nossa fé.

atenciosamente

Centro Espírita Kardecista no Caminho da Luz

Repasse aos seus familiares e amigos

Frequente a Sua Casa Espírita

Nenhum comentário:

Postar um comentário