terça-feira, 11 de outubro de 2011

Jornal Espiritismo em Ação


Posted: 11 Oct 2011 12:09 PM PDT
São tantas notícias, quase todas ruins, afinal o mal é audacioso, o bem é que é modesto. Nesta semana trazemos uma notícia ao mesmo tempo triste (pois fala do desencarne de uma criança), porém maravilhosa por mostrar a diferença que ele fez a tantas pessoas em sua curta existência.



Morre menino com câncer que 

arrecadou mais de R$ 1 milhão em 


campanha com pulseiras

Britânico Harry Moseley, de 11 anos, recebeu homenagens de celebridades no país.

Da BBC
O menino Harry Moseley (Foto: Cancer Research UK)
O menino Harry Moseley
(Foto: Cancer Research UK)
Um britânico de 11 anos que conseguiu arrecadar mais de 500 mil libras (R$ 1,4 milhão) para caridade morreu após uma batalha de quatro anos contra um tumor no cérebro.
Harry Moseley, de Birmingham, ficou conhecido depois que decidiu vender pulseiras que ele mesmo fazia em uma campanha chamada "Ajude Harry a Ajudar Outros", junto à ONG Cancer Research UK.
Por causa do trabalho de caridade realizado enquanto o menino enfrentava quimioterapia e radioterapia, Harry ganhou o título de "Criança Mais Generosa da Grã-Bretanha" e conquistou fãs famosos, como os jogadores de futebol John Terry, Frank Lampard e Rio Ferdinand, o primeiro-ministro David Cameron, que foi visto usando uma de suas pulseiras, além de apresentadores de TV e empresários.
Twitter
Harry estava em coma desde agosto, depois que seu tumor cresceu 50% e ele teve de passar por uma cirurgia.
No domingo, a mãe de Harry, Georgina Moseley, anunciou a morte no Twitter @harry_moseley.
"Meu menino corajoso e inspirador adormeceu nos meus braços às 23h10. De repente, nosso mundo virou um lugar muito escuro e cruel."
Pulseiras para a Grã-Bretanha
A página de Harry no Twitter foi inundada de homenagens ao menino.
Richard Taylor, diretor-executivo de arrecadação e marketing da instituição Cancer Research UK, disse: "Estamos extremamente entristecidos em ouvir que o extraordinariamente corajoso Harry Moseley tragicamente perdeu sua batalha contra o câncer no cérebro com apenas 11 anos de idade".
"Harry era um menino especial - mesmo quando enfrentava uma doença fatal, ele manteve sua personalidade audaciosa e sua vontade de ajudar os outros", disse Taylor.
"Era o desejo de Harry que toda a Grã-Bretanha usasse uma de suas pulseiras com orgulho. Ele tocou os corações de todos que ele encontrou e a diferença que ele fez em sua curta vida é impressionante."
créditos : 

Nenhum comentário:

Postar um comentário