quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

XIV CONFERENCIA ESTADUAL ESPIRITA


Caso não esteja visualizando esta mensagem corretamente acesse: www.conferenciaespirita.com.br


DIA - 16/03 Sexta-Feira
20h / 20h30Plinio Oliveira
"Canções para aquecer o coração" com Quinteto de Cordas e sopro
20h30Divaldo P. Franco
Abertura: O Messias e a Era Nova
DIA - 17/03 Sábado
9h / 10hSandra Della Pola
Seminário: Transição Planetária : Por que te deténs?
10h / 10h30INTERVALO
10h30 / 12hHaroldo Dutra Dias
Conferência: Alvorada Cristã e a Transição Planetária - Profecias Bíblicas e o Mundo de Regeneração
12h / 14hALMOÇO
14h / 15hSuely Caldas Schubert
Conferência: Espiritismo, uma nova era para a humanidade
15h / 15h30INTERVALO
15h30 / 16h30Sandra Borba Pereira
Seminário: O papel libertador da educação no processo de Transição Planetária
16h30 / 17hINTERVALO
17h / 18h30Divaldo P. Franco
Seminário: Transição Planetária
18h30 / 20hJANTAR
20h / 20h30Coral do Centro Espírita Ildefonso Correia
20h30Alberto Almeida
Conferência: Transição Planetária - Você em suas mãos!
DIA - 18/03 Domingo
8h45 / 9h45Sandra Della Pola
Conferência: Até o fim dos tempos
9h45 / 10hINTERVALO
10h / 11hHaroldo Dutra Dias
Conferência: A Terra da Promissão - A Canaã Prometida.
11h / 12hAlberto Almeida
Seminário: Um Jeito "Novo" de Amar, para novos Tempos.
12h / 13h30ALMOÇO
13h30 / 14h30Sandra Borba Pereira
Seminário: A contribuição do Espiritismo no processo de Transição Planetária
14h30 / 16h30Divaldo P. Franco, Sandra Borba Pereira, Alberto Almeida,
Haroldo Dutra Dias, Sandra Della Pola e Suely Caldas Schubert

Painel - Perguntas e respostas



Enfrentando a Depressão


                               Enfrentando a Depressão
Considerada pelos especialistas como o Mal do século XXI, a depressão já atinge cerca de 15% da população mundial. A depressão é um estado d'alma que tem como causa diversos fatores. Mas o principal deles, e muitas vezes ignorado pelos especialistas, está radicado no cerne do Espírito imortal.
O Espírito eterno é herdeiro de si mesmo. Pela Lei de Causa e Efeito ele traz, ao nascer, as experiências acumuladas ao longo dos milênios.
O que geralmente ocorre é que o Espírito que se reconhece culpado cria, inconscientemente, um mecanismo de autopunição. Sabe que infringiu as Leis Divinas e por isso não se permite ser feliz.
Assim, nos porões da consciência, o que Freud chama ID, estão esses clichês mentais que muitas vezes são causadores de depressões graves.
Por essa razão, nem sempre é possível reverter esse mal sem uma ação profunda e efetiva, nas raízes do problema. O que acontece, muitas vezes, é que, sem se aperceberem da gravidade da enfermidade, muitos pais fortalecem as bases da depressão nos primeiros anos de existência dos filhos, adotando um comportamento inadequado.
Quando a educação se baseia principalmente em questões materiais, visando uma projeção social e a abastança financeira do ser, geralmente está se criando fortes bases para que a depressão possa se instalar.
Um exemplo simples está no fato de pais e educadores massificarem a ideia de que o sucesso é de quem consegue um lugar de destaque na sociedade.
E que vencer na vida significa ter um cargo importante e dinheiro sobrando.
Desde pequena a criança aprende a fazer cálculos, ouve falar em investimentos financeiros, juros, aprende a comparar seus brinquedos com os do amigo, o carro do pai com o carro do vizinho, etc.
É iniciada desde cedo num mundo de competições, de concorrências, de incentivo ao ter em detrimento do ser.
Por tudo isso, quando essa criança se torna adulta e mergulha numa profissão, não está preparada para lidar com as emoções e fraquezas que trouxe consigo de outras eras.
Saberá muito bem calcular o quanto seu colega ganha mais do que ele, mas não subtrair uma simples ofensa do companheiro de trabalho.
Saberá lutar pela primeira posição na empresa, mas não tolerar a mínima frustração de um afeto não correspondido.
Conseguirá traçar metas brilhantes para elevar os lucros da empresa, mas não vencer o abismo que o distancia dos entes queridos.
Criará estratégias eficientes para elevar-se na hierarquia, galgando postos de relevância, mas não compartilha a mínima tarefa em equipe.
Quando não consegue nenhuma dessas façanhas que julga importantes, frustra-se e acredita-se imprestável, impotente, inútil.
E, no final de tudo, aparece a depressão. Esse mal que tem origem nas raízes do ser imortal e que é causa de muitas desgraças nos dias atuais.
Outro ponto falho é deixar de passar às crianças a ideia de Deus como um Pai amoroso e justo, além de extremamente misericordioso.
Se ele cresce com a certeza da existência de Deus e do Seu amor, saberá confiar e alimentar a esperança de dias melhores, mesmo tendo que enfrentar algumas noites sem estrelas.
A criatura que crê em Deus jamais se desespera, mesmo sabendo-se devedora das leis que regem a vida, pois tem a certeza de que Deus não quer o castigo nem a morte daquele que dá um passo em falso.
Sabe que Deus deseja, tão somente, que acertemos o passo no compasso das Suas soberanas leis.
* * *
Se o seu coração lhe diz que você já tropeçou antes, e as feridas abertas em sua alma o impedem de ser feliz, é momento de parar um instante para refletir.
É o momento de abrir a alma ao Criador, reconhecendo os atos insanos e rogar o Seu perdão em forma de oportunidades para refazer o caminho.
Certamente ouvirá a resposta do Pai amoroso a lhe dizer com suavidade:
Filho, cada dia que amanhece é a renovação da Minha confiança na sua redenção, no seu aprendizado, no seu progresso, como filho da luz que é.
E enquanto houver dias amanhecendo, você saberá que o convite do Criador está se repetindo ao seu coração de filho bem-amado.
Redação do Momento Espírita

"A maior caridade que podemos fazer pela Doutrina Espírita é a sua divulgação." Chico Xavier - Emmanuel


Oração e Renovação


Olá queridos Irmãos,


Que Jesus nos abençoe e nos cubra de luz e de amor...






Oração e Renovação



"Holocaustos e oblações pelo pecado não
te agradaram." - Paulo (Hebreus, 10:6)
(Hebreus, 10:6.)



É certo que todo trabalho sincero de adoração espiritual nos levanta a alma, elevando-nos os sentimentos.


A súplica, no remorso, traz-nos a bênção das lágrimas consoladoras. A rogativa, na aflição, dá-nos a conhecer a deficiência própria, ajudando-nos a descobrir o valor da humildade. A solicitação na dor revela-nos a fonte sagrada da Inesgotável Misericórdia.


A oração refrigera, alivia, exalta, esclarece, eleva, mas, sobretudo, afeiçoa o coração ao serviço divino. Não olvidemos, porém, de que os atos íntimos e profundos da fé são necessários e úteis a nós próprios.


Na essência, não é o Senhor quem necessita de nossas manifestações votivas, mas somos nós mesmos que devemos aproveitar a sublime possibilidade da repetição, aprendendo com a sabedoria da vida.


Jesus espera por nossa renovação espiritual acima de tudo.


Se erraste, é preciso procurar a porta da retificação.


Se ofendeste a alguém, corrige-te na devida reconciliação.


Se te desviaste da senda reta, volta ao caminho direito.


Se te perturbaste, harmoniza-te de novo.


Se abrigaste a revolta, recupera a disciplina de ti mesmo.


Em qualquer posição de desequilíbrio, lembra-te de que a prece pode trazer-te sugestões divinas, ampliar-te a visão espiritual e proporcionar-te consolações abundantes; todavia, para o Senhor, não bastam as posições convencionais ou verbalistas.


O Mestre confere-nos a Dádiva e pede-nos a Iniciativa.


Nos teus dias de luta, portanto, faze os votos e promessas que forem de teu agrado e proveito, mas não te esqueças da ação e da renovação aproveitáveis na obra divina do mundo e sumamente agradáveis aos olhos do Senhor.





Emmanuel

Livro "Vinha de Luz" - psicografado por Francisco Candido Xavier.


Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/meditacao-diaria/oracao-e-renovacao/#ixzz1nmE7qTvV

Introspecção e Reencarnação





 
 
 
O estudo da reencarnação não interessa unicamente ao exame do passado, às demonstrações do renascimento da alma na ascensão evolutiva; fala, mais profundamente, ao reequilíbrio de nós mesmos.
Não precisamos exumar personalidades que já desapareceram na ronda inflexível do tempo, a fim de nos certificarmos quanto à realidade dos princípios reencarnacionistas.
Recorramos à introspecção.
Pausemos na atividade cotidiana de quando em quando para observar-nos, no âmago do ser, e constataremos a expressão multiface de nosso espírito.
Aí, na solidão do plano íntimo, em análise correta e desapaixonada, surpreenderemo-nos tais quais somos e, confrontando os impulsos que nos caracterizam a índole com os conhecimentos superiores que vamos adquirindo, esbarramos, de chofre, com as individualidades que temos vivido em muitas existências.
Depois de semelhante auto-auscultação, vejamos o próprio comportamento na vida exterior.
Encontraremos, então, o traço dominante de nossa natureza múltipla no trato com pessoas e situações pelas reações que elas nos causam.
O que mais nos assombra é o desnível de nosso senso de amor e justiça, de vez que há circunstâncias em que pleiteamos tolerância e desculpa, quando por dentro estamos plenamente convencidos de que somos responsáveis e puníveis por faltas graves e, há criaturas que nos merecem o máximo apreço, sem que sintamos por elas nada mais que aversão e vice-versa.
Determinemos, por nós mesmos, as oportunidades que falamos disso ou daquilo, escondendo cautelosamente a opinião verdadeira que alimentamos no assunto, atendemos à nossa arte de despistar quando os nossos interesses estejam em jogo e verificaremos que a cortesia, em certas ocasiões, não passa de capa atraente que nos guarnece a astúcia, no encalço de certos fins.
Não nos propomos ao comentário no intuito de arrasar-nos ou deprimir-mos. Longe disso, sugerimos o tema com o objetivo de fomentar a pesquisa clara e benéfica da reencarnação, em nós mesmos, sem necessidade de quaisquer recursos à revelações outras, ao modo de pessoa que acende um luz para conhecer os escaninhos da própria casa.
Estudemos a lei dos renascimentos na vida física, dentro de nós.
Não nos poupemos, diante da verdade, para que a verdade nos corrija.
Não basta que o discípulo tenha um mestre digno para senhorear disciplina determinada. É necessário que ele se informe quanto às lições e se aplique a elas.
ANDRÉ LUIZ
"Introspecção e Reencarnação"
(Sol nas Almas, 50, FCXavier, CEC)
Ideal para exibição em programas de e-mail como Outlook, Incredimail, Thunrbird e etc.
Para visualizar a mensagem no site, clique aqui:
http://www.institutoandreluiz.org/introspeccao_e_reencarnacao.html

CRÉDITOS:
Tubes combinados:
"White Lady", de Dani@ e  "Barque Les Treasors", de Baby
Arte digital de Lori (Instituto André Luiz)
 
Ao repassar/republicar, favor conservar os créditos.
Exclusivamente para uso não-comercial.
By passing on /republish, please keep the credits.
Exclusively for non-commercial use.
 

 
 
 
O Centro Espírita Kardecista No Caminho Da Luz vem apresentar as Questões Constantes no Livro dos Espíritos:

157. No momento da morte a alma tem às vezes uma aspiração ou êxtase, que lhe faz entrever o mundo para o qual regressa?

- A alma sente, muitas vezes, que se desatam os liames que a prendem ao corpo, e então emprega todos os seus esforços para os desligar de uma vez. Já parcialmente separado da matéria, vê o futuro desenrolar-se ante ela e goza por antecipação do estado de Espírito.


O Centro Espírita Kardecista No Caminho Da Luz vem apresentar O Evangelho Segundo o Espiritismo:

CAPÍTULO XXII

NÃO SEPAREIS O QUE DEUS JUNTOU

INDISSOLUBILIDADE DO CASAMENTO. DIVÓRCIO.

INDISSOLUBILIDADE DO CASAMENTO


1. Também os fariseus vieram ter com ele para o tentarem e lhe disseram: Será permitido a um homem despedir sua mulher, por qualquer motivo? Ele respondeu: Não lestes que aquele que criou o homem desde o princípio os criou macho e fêmea e disse: Por esta razão, o homem deixará seu pai e sua mãe e se ligará à sua mulher e não farão os dois senão uma só carne? Assim, já não serão duas, mas uma só carne. Não separe, pois, o homem o que Deus juntou.

Mas, por que então, retrucaram eles, ordenava Moisés que o marido desse à sua mulher um escrito de separação e a despedisse? Jesus respondeu: Foi por causa da dureza do vosso coração que Moisés permitiu despedísseis vossas mulheres, mas, no começo, não foi assim. Por isso eu vos declaro que aquele que despede sua mulher, a não ser em caso de adultério, e desposa outra, comete adultério, e que aquele que desposa a mulher que outro despediu também comete adultério. (S. MATEUS, cap. XIX, vv. 3 a 9.)

2. Imutável só há o que vem de Deus. Tudo o que é obra dos homens está sujeit o a mudança. As leis da Natureza são as mesmas em todos os tempos e em todos os países. As leis humanas mudam segundo os tempos, os lugares e o progresso da inteligência. No casamento, o que é de ordem divina é a união dos sexos, para que se opere a substituição dos seres que morrem, mas, as condições que regulam essa união são de tal modo humanas, que não há, no inundo inteiro, nem mesmo na cristandade, dois países onde elas sejam absolutamente idênticas, e nenhum onde não hajam, com o tempo, sofrido mudanças. Daí resulta que, em face da lei civil, o que é legítimo num país e em dada época, é adultério noutro país e noutra época, isso pela razão de que a lei civil tem por fim regular os interesses das famílias, interesses que variam segundo os costumes e as necessidades locais. Assim é, por exemplo, que, em certos países, o casamento religioso é o único legítimo, noutros é necessário, além desse, o casamento civil, noutros, finalmente, este último casamento basta.

3. Mas, na união dos sexos, a par da lei divina material, comum a todos os seres vivos, há outra lei divina, imutável como todas as leis de Deus, exclusivamente moral: a lei de amor. Quis Deus que os seres se unissem não só pelos laços da carne, mas também pelos da alma, a fim de que a afeição mútua dos esposos se lhes transmitisse aos filhos e que fossem dois, e não um somente, a amá-los, a cuidar deles e a fazê-los progredir. Nas condições ordinárias do casamento, a lei de amor é tida em consideração? De modo nenhum. Não se leva em conta a afeição de dois seres que, por sentimentos recíprocos, se atraem um para o outro, visto que, as mais das vezes, essa afeição é rompida. O de que se cogita, não é da satisfação do coração e sim da do orgulho, da vaidade, da cupidez, numa palavra: de todos os interesses materiais. Quando tudo vai pelo melhor consoante esses interesses, diz-se que o casamento é de conveniência e, quando as bolsas estão bem aquinhoadas, diz-se que os esp osos igualmente o são e muito felizes hão de ser.

Mas, nem a lei civil, porém, nem os compromissos que ela faz se contraiam podem suprir a lei do amor, se esta não preside à união, resultando, freqüentemente, separarem-se por si mesmos os que à força se uniram, torna-se um perjúrio, se pronunciado como fórmula banal, se uniram, torna-se um perjúrio, se pronunciado como fórmula banal, o juramento feito ao pé do altar. Daí as uniões infelizes, que acabam tornando-se criminosas, dupla desgraça que se evitaria se, ao estabelecerem-se as condições do matrimônio, se não abstraísse da única que o sanciona aos olhos de Deus: a lei de amor. Ao dizer Deus: "Não sereis senão uma só carne", e quando Jesus disse: "Não separeis o que Deus uniu", essas palavras se devem entender com referência à união segundo a lei imutável de Deus e não segundo a lei mutável dos homens.

4. Será então supérflua a lei civil e dever-se-á volver aos casamentos segundo a Natureza? Não, decerto . A lei civil tem por fim regular as relações sociais e os interesses das famílias, de acordo com as exigências da civilização, por isso, é útil, necessária, mas variável. Deve ser previdente, porque o homem civilizado não pode viver como selvagem, nada, entretanto, nada absolutamente se opõe a que ela seja um corolário da lei de Deus. Os obstáculos ao cumprimento da lei divina promanam dos prejuízos e não da lei civil. Esses prejuízos, se bem ainda vivazes, já perderam muito do seu predomínio no seio dos povos esclarecidos, desaparecerão com o progresso moral que, por fim, abrirá os olhos aos homens para os males sem conto, as faltas, mesmo os crimes que decorrem das uniões contraídas com vistas unicamente nos interesses materiais. Um dia perguntar-se-á o que é mais humano, mais caridoso, mais moral: se encadear um ao outro dois seres que não podem viver juntos, se restituir-lhes a liberdade, se a perspectiva de uma cadeia indissolúvel não aumenta o número de uniões irreg ulares.

atenciosamente 

Centro Espírita Kardecista no Caminho da Luz

Consulte novidades no nosso site: http://www.centronocaminhodaluz.com.br
Repasse aos seus familiares e amigos


Frequente A Sua Casa Espírita



Nosso Endereço:
Centro Espírita Kardecista No Caminho da Luz
Ladeira Aurora, 135A
Santo Amaro - Sao Paulo - Capital - SP
04753-040
Exibir mapa ampliado

Dias e horários: (não é necessário agendar)
Atividade
Terça FeiraQuinta FeiraSábado
Tratamento Espiritual
20:00h
14:00h
09:30h
Tratamento Espiritual
-----
20:00h
-----
Evangelização Infantil
-----
-----
11:30h

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Amor que não acaba


Momento Espírita
Amor que não acaba
Até que ponto vai a capacidade de amar do ser humano? Quanto tempo dura o amor?
Um poeta da música disse, certa vez, que o amor é eterno enquanto dure.
E todos os desiludidos, os traídos e abandonados têm impressões muito próprias a respeito do amor, onde a tônica principal é de que amor eterno não existe.
Contradizendo tudo isso, alguns fatos, que a mídia televisiva ou impressa nos traz, afirmam que o amor verdadeiro é uma sinfonia inigualável.
Foi com esse sentimento que Chris Medina, um rapaz de vinte e sete anos, se apresentou em um programa de talentos, cantando uma música de sua autoria.
Os versos diziam mais ou menos assim:
Onde quer que você esteja, estou perto. Em qualquer lugar que você vá, eu estarei lá.
Toda vez que sussurrar meu nome, você verá como mantenho cada promessa. Que tipo de cara eu seria se fosse embora, quando você mais precisasse de mim?
O que são palavras se você realmente não acredita nelas quando as diz? Se são apenas para os bons momentos, então elas nada são.
Quando há amor, se diz em voz alta e as palavras não vão embora. Elas vivem mesmo quando partimos.
Eu sei que um anjo foi enviado apenas para mim. Sei que devo estar onde estou. E vou permanecer ao seu lado esta noite.
Nunca partiria quando você mais precisa de mim.
Vou manter meu anjo perto para sempre.
Ele não conseguiu vencer todas as etapas do concurso, sendo eliminado, em determinada fase, mas sua história levou às lágrimas os jurados e o público presente.
Porque a sua composição retrata exatamente o seu drama e sua decisão pessoal. É uma verdadeira declaração de amor.
Ele estava noivo e há dois anos pediu em casamento Juliana Ramos. A jovem bela, entusiasta. Formavam um casal primoroso.
Dois meses antes do casamento, no dia dois de outubro de 2009, o carro de Juliana foi atingido por um caminhão. Ela quase não sobreviveu.
Uma grave fratura no crânio desfigurou seu rosto e a transformou em uma mulher com muitas limitações físicas.
Foi-se a beleza, a agilidade, o sorriso fácil, as caminhadas, a dança, a alegria de todas as horas.
Ele permaneceu ao lado dela. Leva-a consigo para onde vá. E faz shows para arrecadar fundos para o tratamento de que ela necessita.
E isso ele externaliza cantando e agindo.
*   *   *
Quando se ama a beleza e ela se vai, o amor acaba. Quando se amam as formas perfeitas, a plástica, as linhas harmônicas do corpo e tudo isso se vai, o amor também se esvai.
Quando se amam aparências e outra realidade se apresenta, o amor acaba.
Quando se ama a transitoriedade, o amor fenece quando as situações se alteram.
Mas, quando se ama a essência, nada diminui o sentimento.
Esse amor é companheiro, solidário, se esmera para que o outro se sinta bem, seja feliz.
A sua é a preocupação de fazer a felicidade do outro.
Amor assim se perpetua no tempo, independente da soma dos anos, da multiplicação das rugas ou da diminuição da agilidade.
É o amor que sabe envelhecer junto e quanto mais passa o tempo, mais se solidifica.

Redação do Momento Espírita, com base em fato.Em 27.02.2012.

Belas e coloridas flores



Imagine-se observando um lindo jardim com belas e coloridas flores, árvores frondosas
e um bonito lago, borboletas de diversas cores tonalizando o ambiente.
Imagine-se observando tudo isso com óculos de lentes cinza. Isso mesmo: cinza.
Você estaria vendo tudo cinzento, não haveria diversidade de cores nem beleza.
Tudo pareceria muito triste e sem vida.
Nada contra o cinza,
mas é uma forma de mostrar como nosso humor intervém na maneira de vermos a vida.
Tire essa lente de mau humor que as vezes nos impede de ver a vida como realmente ela é.
“Viva sorrindo que a tristeza não encontrará espaço na sua vida.”

O Caminho



- O Amor é o caminho que torna tudo mais fácil, evitando que o espírito,
por séculos e séculos, voluteie em torno de si mesmo ! - respondeu o
Mentor, com precisão. - O Amor faz com que o espírito cumpra a sua
trajetória em linha retilínea... Por esse motivo, ele está acima da Verdade.
Quem sabe amar, sabe o essencial, porque a conquista do Amor implica
a conquista da Sabedoria. O verdadeiro sábio é aquele que ama e aquele
que verdadeiramente ama é um sábio. Todas essas etapas evolutivas e
outras mais que possam existir existem com o único objetivo de que o
homem aprenda a amar. Quem sabe amar, nada mais tem para saber.
Jesus resumiu toda a Lei e a sabedoria dos profetas, num único mandamento:
"Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo" !


(Obra Infinitas Moradas - Carlos A. Baccelli / Inácio Ferreira)


******

Se não tomarmos a iniciativa de redescobrirmos Jesus, aceitando-O, para
sempre, na condição de Mestre e Senhor, a nossa fé religiosa, qualquer
que seja ela, não passará de um distintivo simbólico sobre o peito, que,
ao invés de nos irmanar, colocará em evidência as nossas diferenças...
O Amor carece de ser colocado acima da Fé e, ousaria dizer, da Verdade.
Caso contrário, se não nos amarmos o bastante, a nossa civilização
tenderá a desaparecer, não por obra da evolução, mas devido a nossa
insensatez.
(Odilon Fernandes)

(Obra: No Interior da Terra - Carlos A. Baccelli / Paulino Garcia)


******

AVE MARIA
Ave Maria cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as
mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre Jesus.
Santa Maria, Mãe de Jesus, rogai por nós, pecadores, agora e na hora de
nossa morte. Amém.

******

PAI NOSSO
Pai nosso que estais no Céu, santificado seja o Vosso Nome, venha a nós o
Vosso reino, seja feita a Vossa vontade, assim na terra como no Céu. O pão
nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como
nós perdoamos a quem nos tem ofendido, e não nos deixeis cair em tentação,
mas livrai-nos do mal. Amém.

JESUS

APRENDAMOS, NO ENTANTO...



O Centro Espírita Kardecista No Caminho Da Luz vem apresentar artigos de Emmanuel psicografados por Chico Xavier extraidos do livro Palavras da Vida Eterna:



     159 - APRENDAMOS, NO ENTANTO...



"Medita estas coisas, ocupa-te nelas para que o t eu
aproveitamento seja manifesto a todos".
- Paulo. (I Timóteo, 4:15.).
Em muitas reencarnações passadas, adotamos igualmente a estranha maneira
de muitos dos nossos irmãos, vinculados hoje ao Cristianismo, cujo comportamento
religioso a vida reajustará, qual aconteceu a nós outros.
Buscávamos o Evangelho e pregávamos o Evangelho, atendendo a sentido
demagógico.
Queríamos o Cristo para que o Cristo nos servisse.
Cultivávamos a oração, pretendendo subornar a Justiça Divina.
Compartíamos demonstrações e expressões de fé, à caça de vantagens
pessoais, no imediatismo das gratificações terrestres.
À face disso, temos entrado múltiplas vezes no renascimento físico e
atravessando os pórticos da reencarnação, carreando a consciência pesada de culpas, à
maneira de aposento recheado de lixo e sucata da experiência humana, incapaz de se
abrir ao sol da Bondade Divina.
O apóstolo Paulo, no entanto, escrevendo a Timóteo - ele que foi o campeão
impertérrito da fé viva - traça a diretriz que nos é necessária, à frente das lições do
< div align=left>Senhor.
Após valiosa série de considerações soe os princípios evangélicos, nas quais
pers uade o companheiro a ler, instruir, exortar e exemplificar em boas obras, pede não
apenas para que o amigo e aprendiz medite nas doutrinas que aceita, mas recomenda-lhe
aplicar-se a elas, a fim de que o aproveitamento pessoal dele seja manifesto a todos.
A assertiva de Paulo não deixa dúvidas.
Quanto nos seja possível, estudemos as lições do Senhor e reflitamos em torno
delas. Aprendamos, no entanto, a praticá-las, traduzindo-as em ação, no cotidiano, para
que a nossa palavra não se faça vazia e a nossa fé não seja vã.

atenciosamente 

Centro Espírita Kardecista no Caminho da Luz

Consulte novidades no nosso site: http://www.centronocaminhodaluz.com.br
Repasse aos seus familiares e amigos


Frequente a Sua Casa Espírita



Nosso Endereço:
Centro Espírita Kardecista No Caminho da Luz
Ladeira Aurora, 135A
Santo Amaro - Sao Paulo - Capital - SP
04753-040
Exibir mapa ampliado

Dias e horários: (não é necessário agendar)
Atividade
Terça FeiraQuinta FeiraSábado
Tratamento Espiritual
20:00h
14:00h
09:30h
Tratamento Espiritual
-----
20:00h
-----
Evangelização Infantil
-----
-----
11:30h

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Significados do Amor





Vida
É o amor existencial.
Razão
É o amor que pondera.
Estudo
É o amor que analisa.
Ciência
É o amor que investiga.
Filosofia
É o amor que pensa.
Religião
É o amor que busca a Deus.
Verdade
É o amor que eterniza.
Ideal
É o amor que se eleva.

É o amor que transcende.
Esperança
É o amor que sonha.
Caridade
É o amor que auxilia.
Fraternidade
É o amor que se expande.
Sacrifício
É o amor que se esforça.
Renúncia
É o amor que depura.
Simpatia
É o amor que sorri.
Trabalho
É o amor que constrói.
Indiferença
É o amor que se esconde.
Desespero
É o amor que se desgoverna.
Paixão
É o amor que se desequilibra.
Ciúme
É o amor que se desvaira.
Orgulho
É o amor que enlouquece.
Sensualismo
É o amor que se envenena.
Finalmente, o ódio, que julgas ser a antítese do amor, não é senão o próprio amor que adoeceu gravemente.

"A maior caridade que podemos fazer pela Doutrina Espírita é a sua divulgação." Chico Xavier - Emmanuel


Ter coragem



Todos os nosso sonhos podem se realizar,
se tivermos a coragem de ir atrás deles.
Não tenha medo do espaço entre
seus sonhos e a realidade,
você pode sonhá-lo e torná-lo real.