sexta-feira, 13 de julho de 2012

História de Anacleta


Momento Espírita
No livro Missionários da luz, do Espírito André Luiz, narram-se várias histórias passadas no plano espiritual.
Uma delas se refere a Anacleta, que programa sua próxima reencarnação.
Anacleta é apresentada como um exemplo vivo de ternura e abnegação.
Ao defrontar-se com essa descrição, o leitor imagina se tratar de uma alma em boa situação.
Entretanto, ela prepara uma nova vida extremamente difícil e trabalhosa.
Segundo a narrativa, ela se complicou por alguns excessos de meiguice desarrazoada.
Na última encarnação, foi uma senhora de posses e esposa de um homem honrado.
Também foi mãe de quatro filhos saudáveis, três rapazes e uma moça.
O pai tentava exercer uma salutar influência sobre os filhos.
Desejava encaminhá-los ao trabalho e discipliná-los na vida reta.
Mas Anacleta, embora devotadíssima e desejosa da felicidade dos filhos, contrariava a influência do pai.
Ela entendia que os filhos podiam gastar seu tempo em obrigações sociais.
Incentivava-os na busca de divertimentos e passatempos.
Ocorre que eles possuíam importantes fragilidades morais.
Sem ocupação útil, desvirtuaram-se na busca de prazeres.
Dilapidaram o tesouro da saúde e desencarnaram cedo e em tristes condições.
Terminaram em baixas regiões do Plano Espiritual, em estado de grande sofrimento.
Anacleta, ao retornar à pátria espiritual, compreendeu o desatino que cometera.
Conscientizou-se de que o dever dos pais é educar os filhos para Deus, e não para os prazeres humanos.
Gastou mais de trinta anos para resgatá-los e programar a futura reencarnação.
Nessa, seriam todos muito pobres.
Os três rapazes teriam graves problemas físicos, pelo mau uso do corpo na vida anterior.
Anacleta ficaria viúva precocemente e teria uma vida de muito trabalho e sacrifício.
Em sua labuta, contaria apenas com a ajuda da filha, também portadora de marcantes conflitos.
*   *   *
Essa história evidencia o quanto o amor, apartado da razão, pode ser pernicioso.
Ele corre o risco de se converter em venenosa pieguice.
A vida física não constitui um passeio ou uma estação de lazer para o Espírito imortal.
Todo renascimento envolve preparação e projetos de trabalho e aprendizado.
Por isso, a tarefa educativa dos pais é importante e grave.
Eles devem orientar seus pupilos sobre o perigo da liberdade sem responsabilidade.
Ensiná-los que todo trabalho edificante é Divino e que todo desperdício constitui falta grave.
Tudo com o propósito de criar um adulto responsável e decente.
Alguém cuja presença seja positiva no mundo.
Pense nisso.
Redação do Momento Espírita, com base no cap. 12 do livroMissionários da luz, pelo Espírito André Luiz, psicografia de Francisco
Cândido Xavier, ed. Feb.

Em 14.07.2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário