terça-feira, 19 de março de 2013

O lazer que nos falta



O lazer que nos falta








Há uma lei da natureza que nos ajusta perfeitamente na relação com o trabalho. Essa lei se chama Lei do Repouso. Existe. Existe uma Lei do Repouso. Lei Divina.



Uma vez que Deus nos deu um corpo físico, capaz de sofrer com o passar do tempo, capaz de se esgotar com as nossas atividades mais densas, mais rústicas, ou com o passar do tempo, Ele nos dotou de recursos de recomposição desse corpo.



Mas, para que esses recursos de recomposição se estabeleçam e deem frutos, será preciso que  colaboremos para isso.



A Lei do Repouso, que  encontramos num livro muito interessante, que é O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec, esse trabalho que Deus deseja que a gente realize, tem como respaldo esse descanso que Ele espera que tenhamos.



Todas as vezes que trabalhamos excessivamente ou que trabalhamos muito, durante algum tempo, o organismo vai se ressentindo. O desgaste vai nos levando a um estado de cansaço, às vezes de irritabilidade, que fez com que se chamasse internacionalmente de stress.



Toda aquela atividade feita e que nos causa um certo distendimento, uma certa distensão comportamental, uma coisa que nos exige muito emocionalmente ou psicologicamente, causa um stress. E, hoje em dia, todo mundo tem stress.



Chamamos de stress a tudo. As pessoas são nervosas, irritadiças, nós dizemos: Que sujeito estressado.



Passamos a admitir que esse termo tenha caído no lugar comum e que todo mundo usa. E, no nosso trabalho, excessivo, cansativo, ficamos estressados.



É necessário então, que procuremos uma forma, uma maneira de desfazer esse estado de distensionamento, esse estado estressante. Exatamente por quê? Porque Deus não pretende que trabalhemos até a exaustão.



Em O Livro dos Espíritos, chegamos a aprender que deveremos trabalhar até o limite das forças. E cada criatura tem o seu limite de forças.



Importante é não nos deixarmos arrastar por essa situação que se torna depois inviável retroceder, porque o corpo adoece. Quando exigimos demasiadamente do nosso organismo, do nosso cérebro, do nosso sistema nervoso, a tendência é que esse organismo sofra, adoeça, se desgaste.



Então, vamos pensar no que poderemos fazer para produzir esse descanso. Vamos pensar naquilo que convencionamos chamar lazer. Afinal de contas, o que é o lazer?



Para muita gente, lazer é não fazer nada, lazer é parar totalmente, lazer é um descanso sem limites.



Será que é esta mesmo a proposta do lazer para as nossas vidas na Terra? Será que, para atendermos a essa Lei Divina do descanso, teremos que parar definitivamente? Teremos que interromper definitivamente a nossa atividade, ou poderemos mudar de ação?



Aprendemos que no Mundo Superior, onde pulsa a Espiritualidade Superior, onde estão os nossos Anjos Guardiães, a sua forma de descansar é mudando de atividade. Mudar de atividade será trabalho no bem.


 


 

E o que é trabalho no bem?



Aprendemos que toda ocupação útil da criatura é um trabalho.



Se estou pensando no bem, se estou fazendo oração, se estou cozinhando, lavando uma peça de roupa, se estou caminhando por um jardim e respirando fundo, se é uma coisa positiva que visa positivismo, é um trabalho no bem, é um trabalho.



Desse modo, o lazer poderá ser um trabalho. Mas um trabalho que não nos exija, que não nos esfalfe.



Quanta gente gosta de desenvolver o seu lazer lendo? Existe coisa mais agradável do que uma leitura superior, do que uma leitura gostosa? Uma leitura que nos traga um gracejo, cultura, informação? Uma leitura que nos faça manter contato com pensamentos superiores, é um lazer.



Há pessoas que passam um fim de semana lendo. Há pessoas que passam um fim de semana cuidando do jardim. Já trabalharam na sua empresa, na sua oficina a semana inteira mas, nos finais de semana, vão fazer o seu lazer, um outro tipo de trabalho.



Há indivíduos que gostam de consertar coisas em casa, por hobby. Eles gostam de mexer nas instalações,  gostam de cuidar das paredes, das pinturas. É um hobby, é um lazer. Tudo que nos descansa a mente do trabalho renitente, continuado, para sair da mesmice, é lazer.



Encontramos outras pessoas que vão passar o final de semana, por exemplo, os feriados, os feriadões, nas praias, nas casas de campo, nas montanhas e, quando voltam, vemos nas ruas coisas absurdas, nas estradas, porque as pessoas cortam pelo acostamento irritadas, tensas, densas.



Vemos outros que xingam, que agridem, que dizem impropérios, que fazem maus sinais aos choferes, aos motoristas que estão passando ao seu lado.



Afinal de contas, essa pessoa conseguiu fazer o seu lazer ou não? Esse indivíduo descansou ou não? Como é que nós poderemos descansar e voltar pior do que fomos?



Vale pensar no lazer de que temos necessidade. Não temos que sair, por sair, para nos irritar nas estradas, para nos irritar no trânsito. Precisamos sair para relaxar a mente, ou precisamos ficar para relaxar a mente.



Há senhoras que aproveitam e, para relaxar a mente, vão arrumar gavetas, tirar papéis, mexer em roupas, passar roupas. Há todo tipo de lazer. Há uns que vão ouvir música, outros que vão tocar música. Os nossos lazeres são os mais variados.



Importante é que haja lucidez no nosso lazer. Porque, ficar parado sem fazer nada, isso tem cheiro de preguiça, e nós estaremos jogando nosso tempo fora, desperdiçando nosso tempo.



Cabe a você, cabe a nós, a todos nós, buscar esse tipo de lazer que nos construa, que nos ilumine, que nos exalte.



Bater uma bolinha no final de semana, jogar um pingue-pongue, ir para uma quadra de tênis, de vôlei, não importa. Importa é que dessa atividade, nós saiamos em melhor estado.



Se formos para o futebol, o nosso lazer, o nosso jogo não poderá ser uma coisa estressante. Não poderemos jogar com a outra equipe, querendo ganhar somente e se a outra equipe ganhar, partirmos para a briga, porque isso não terá sido um lazer. Isso terá sido um incômodo, uma agitação, uma excitação.



Todo esporte deve ser uma coisa agradável. O outro time não é um inimigo nosso, é um adversário no jogo. Adversário não quer dizer inimigo. Adversário é quem está em campo oposto, inimigo é quem se indispõe com o outro.



O nosso lazer nos esportes deve ser uma coisa agradável. Quando  ganharmos ou quando  perdermos, nos abraçamos, porque o gostoso do esporte é praticar o esporte.



Quando somos profissionais e aquilo demanda ganho de dinheiro, demanda posição social dentro do clube, encontramos maiores possibilidades desse stress. As pessoas estão disputando dinheiro, posição social, cargos, mas não é o nosso caso.



O lazer de que precisamos é esse descanso proposto pela Lei de Deus. Descansar mudando de atividade, não parar definitivamente, não passarmos doze horas dormindo, para que o corpo se levante lasso, mais cansado ainda, e nós, irritadíssimos.



Vamos mudar de atividade, fazer uma coisa do bem. Ouvir música, cantar músicas, ler, caminhar, passear com as pessoas amadas, com a pessoa querida, dando sentido ao nosso descanso.




 




Transcrição do Programa Vida e Valores, de número 103, apresentado por
Raul Teixeira, sob coordenação da Federação Espírita do Paraná.


Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/meditacao-diaria/o-lazer-que-nos-falta/#ixzz2NzBKPIfy

Nenhum comentário:

Postar um comentário