quinta-feira, 17 de abril de 2014

A Fé Precisa de Obras




Você tem fé? Você acredita no poder da mente? Você sabe o que é a fé, mas talvez não tenha um conceito muito bem definido. Para poupar trabalho, eu fico com a definição do Mestre, que nos ensina que a fé é crer firmemente na realização da sua palavra. Mas a fé precisa de obras.
O engraçado é que as coisas mais simples podem se tornar as mais complicadas. Somos céticos por natureza, nos confundimos com a matéria, esquecidos de nossa realidade de espírito imortal.
Tudo o que é criado existe antes em pensamento. Um edifício, um bolo, o computador, você. Tudo. O pensamento contém o Poder Criador de Deus. E o Poder Criador é exercido através da palavra. A palavra tem poder. Você alguma vez disse algo que magoou outra pessoa. Disse, não disse? Claro que sim, todo mundo já fez isso. Você se arrependeu depois. Se pudesse, apagava as palavras que disse. Mas as palavras não se apagam. As palavras criam.
Para crer não é necessário embasamento científico, não é importante que se investigue o mecanismo que põe em funcionamento o Poder Criador. É só crer… Parece fácil, né? Só que para crer é preciso que haja a adesão total da mente. Normalmente temos os pensamentos tão dispersos, a mente ocupada com tantas coisas ao mesmo tempo, que chegamos a duvidar do seu poder. Por que nos momentos de grande aflição e dificuldade as preces são mais fervorosas e surtem efeitos visíveis? Porque, por alguns instantes, conseguimos usar a mente de maneira integral. Por nosso estado de emoção conseguimos nos concentrar no objetivo.
O Mestre não disse que a fé remove montanhas? Será que ele estava de sacanagem? Claro que não, né? Essa fé que ele ensinou é a crença que não aceita dúvidas, que não aceita discussões internas, que acredita firmemente que é assim e pronto! Essa fé pressupõe o conhecimento do efeito, sem querer saber a causa. Não interessa a causa. O que importa é o efeito.
As pessoas conhecidas como “pessoas de sucesso” têm fé. Não me refiro a religião, mas à fé, pura e simples. Acreditam firmemente em si mesmas, controlam o processo criativo de pensamento, palavra e ação. Elas têm um mérito especial por isso? Talvez. Porque, como você está lembrado, a fé sem obras é fé morta. De que adianta exercer o domínio sobre os mecanismos da fé se suas obras não trazem proveito a ninguém?
Por isso somos constantemente impelidos a praticar o que sabemos, a praticar o que aprendemos. Qual o valor do conhecimento intelectual se aquilo que se sabe não é praticado? De que adianta decorar lindas passagens da literatura espírita se esse conhecimento não se transforma em sabedoria, se esse conhecimento não beneficia ninguém?
Não é pela crença em Deus que evoluímos. Não é pela religião que evoluímos. Não é pelo conhecimento, por si só, que evoluímos. A única maneira de evoluirmos é através de nossas obras. O único modo de consolidarmos a nossa reforma íntima é colocando em prática, nos nossos atos cotidianos, aquilo que aprendemos, aquilo em que acreditamos. O único caminho para o nosso progresso espiritual é o caminho da solidariedade para com aqueles que nos acompanham.
A caminhada é individual, cada um deve andar com suas próprias pernas, mas não seguimos sozinhos. Arrastamos e somos arrastados por companheiros de jornada. Exercite a sua fé. Ela existe. Pode estar em desuso, mas existe dentro de você. O Poder Criador também precisa ser exercitado para se desenvolver. Com tudo é assim. Com o aprendizado intelectual, com os músculos do corpo, tudo requer exercício e prática.
E não se esqueça de que a fé precisa de obras. Precisamos praticar o que vamos aprendendo. Eu estou tentando. E você?

"A maior caridade que podemos fazer pela Doutrina Espírita é a sua divulgação." Chico Xavier - Emmanuel



Leia mais lindas mensagens acessando o Site Mensagem Espíritahttp://www.mensagemespirita.com.br/mensagem-em-video/448/a-fe-precisa-de-obras

Saberes Diferentes



Narra-se que, num largo rio, de difícil travessia, havia um barqueiro que atravessava as pessoas de um lado para outro. Em uma das viagens, iam um advogado e uma professora.

Como quem gosta de falar muito e com ar altivo, o advogado pergunta ao barqueiro: Companheiro, você entende de leis? Não. Responde o barqueiro. E o advogado compadecido acrescenta: É pena... Você perdeu metade de sua vida!

A professora, então, muito social, adentra na conversa: Seu barqueiro, você sabe ler e escrever? Também não. Responde o remador. Que pena! - condói-se a mestra. Você perdeu metade de sua vida! Nisso, uma onda muito forte vira o barco

O canoeiro, preocupado, pergunta: Vocês dois sabem nadar? Não! Responderam eles rapidamente, em conjunto. Então é pena! - conclui o barqueiro - vocês perderam toda sua vida!

O texto do educador Paulo Freire mostra, com bom humor e profundidade, que não há saber maior ou saber menor, apenas saberes diferentes. Todos somos importantes e sempre temos algo a contribuir para com a sociedade.

Cada um com suas habilidades, na sua área de conhecimento específico, fazemos parte de uma grande engrenagem, tanto na Terra, como no Cosmos. Para que essa engrenagem funcione bem, os dentes precisam estar bem encaixados, uns oferecendo, outros recebendo e vice-versa.

Juntos formamos um organismo completo, onde as pequenas e importantes peças, sempre solidárias entre si, complementam-se, preenchendo as deficiências umas das outras. A Lei maior do progresso dita que todos, um dia, saberemos tudo sobre tudo. Porém, neste longo caminho a ser trilhado, vamos adquirindo tais conhecimentos gradualmente.

A Sabedoria Divina, sempre fabulosa, faz com que tenhamos uma interdependência entre nós, para que nos ajudemos mutuamente e não nos isolemos.

Desta forma as sociedades precisam dos advogados, das professoras, dos médicos. Mas também carecem dos barqueiros, dos garis, dos músicos, etc. É nisto que está a beleza da vida, das habilidades que se complementam e se auxiliam para que todos possam não só viver, mas bem viver .

REFLETINDO... 
Nunca desmereça os serviços aparentemente simples e maquinais. Os trabalhos manuais enriquecem a alma, da mesma forma que aqueles que exigem muitos conhecimentos.

Cada um deve servir com suas forças, com aquilo que tem de melhor. Nossas diferenças nos enriquecem, nos fazem aprender uns com os outros em toda ocasião. Aproveitemos as oportunidades de aprender com o diferente, construindo no íntimo as virtudes da humildade e do respeito. Viva a diferença que pode conviver em harmonia!

PENSE NISSO!

"A maior caridade que podemos fazer pela Doutrina Espírita é a sua divulgação." Chico Xavier - Emmanuel

Leia mais lindas mensagens acessando o Site Mensagem Espíritahttp://www.mensagemespirita.com.br/mensagem-em-powerpoint/18/saberes-diferentes

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Herói Anônimo - Acredite na Bondade




Assista a esse emocionante e vídeo.

"A maior caridade que podemos fazer pela Doutrina Espírita é a sua divulgação." Chico Xavier - Emmanuel



Leia mais lindas mensagens acessando o Site Mensagem Espíritahttp://www.mensagemespirita.com.br/mensagem-em-video/479/heroi-anonimo-acredite-na-bondade

Um minuto com Chico Xavier

Um minuto com Chico Xavier

Estávamos – diz Adelino Silveira – na residência do Chico. Seu estado de saúde não lhe permitia deslocar-se até o Centro.
A multidão se comprimia lá na rua em frente.
Quando o portão se abriu, a fila de pessoas tinha alguns quarteirões. Foram passando uma a uma em frente ao Chico. Pessoas de todas as idades, de todas as condições sociais e dos mais distantes lugares do País. Algumas diziam:
– Eu só queria tocá-lo...
– Meu maior sonho era conhecê-lo...
– Só queria ouvir sua voz e apertar sua mão.
Uns queriam notícias de familiares desencarnados, espantar uma idéia de suicídio. Outros nada diziam, nada pediam, só conseguiam chorar.
Com uma simples palavra do Chico, seus semblantes se transfiguravam, saíam sorridentes.
Ao ver as pessoas ansiosas para tocá-lo, a interminável fila, a maneira como ele
atendia a todos fiquei pensando: “Meu Deus, a aura do
Chico é tão boa... seu magnetismo é tão grande, que parece que pulveriza nossas dores e ameniza nossas ansiedades”.
De repente, ele se volta para mim e diz:
– Comove-me a bondade de nossa gente em vir visitar-me.
Não tenho mais nada para dar. Estou quase morto. Por que você acha que eles vêm?
Perguntou-me e ficou esperando a resposta.
Aí, pensei: Meu Deus, frente a um homem desses, a gente não pode mentir nem dizer qualquer coisa que possa vir
ofender a sua humildade (embora ele sempre diga que nunca se considerou humilde).
Comecei então a pensar que quando Jesus esteve conosco, onde quer que aparecesse, a multidão o cercava. Eram pessoas de todas as idades, de todas as classes sociais e dos mais distantes lugares. Muitos iam esperá-lo nas estradas, nas aldeias ou nas casas onde Ele se hospedava. Onde quer que aparecesse, uma multidão o cercava. Tanto que Pedro lhe disse certa vez: “Bem vês que a multidão te comprime”.
Zaqueu chegou a subir numa árvore somente para vê-lo. Ver, tocar, ouvir era só o que queriam as pessoas. Tudo isso passou pela minha cabeça com a rapidez de um relâmpago. E como ele continuava olhando para mim esperando a resposta, animeime a dizer:
– Chico, acho que eles estão com saudades de Jesus.
Palavras tiradas do fundo do coração, penso que elas não ofenderam sua modéstia.
A multidão continuou desfilando. Todos lhe beijavam a mão e ele beijava a mão de todos.
Lá pelas tantas da noite, quando a fila havia diminuído sensivelmente, percebi que seus lábios estavam sangrando. Ele havia beijado a
mão de centena de pessoas. Fiquei com tanta pena daquele homem, nos seus oitenta e oito anos, mais de setenta dedicados ao atendimento de pessoas, que me atrevi a lhe perguntar:
– Por que você beija a mão deles?
A humildade de sua resposta continuará emocionando-me sempre:
– Porque não posso me curvar para beijar-lhes os pés.

(Do livro “Momentos com Chico Xavier”, de Adelino da Silveira.1ª ed. 1999.)


Leia mais lindas mensagens acessando o Site Mensagem Espíritahttp://www.mensagemespirita.com.br/chico-xavier/ad/um-minuto-com-chico-xavier

Reflexões




Reflexões






Recorda-te sempre de Jesus e, tomando-O como modelo, saberás como lidar com quaisquer situações ou pessoas na carne ou fora dos seus limites, agindo com fraternidade e misericórdia.

Desperta, em qualquer situação, os sentimentos de bondade e de compreensão, que são indispensáveis para todos os jornadeiros da evolução, no corpo ou fora dele.

Sê tu aquele que socorre os irmãos em trevas interiores, amargurados e odientos, que merecem carinho e piedade.

A tua existência se transformará naquilo que elaborares mentalmente.

Cada qual é aquilo que pensa. De acordo com as formulações elaboradas e as ondas emitidas, o mundo cósmico responde com igualdade de solicitações.

Inicia o costume de pensar no bem e no amor, sem as formulações apoiadas nos instintos primevos que ainda não foram superados.

Se aspiras atingir o cume da montanha altaneira e o seu oxigénio puro, respirarás regiões psíquicas possuidoras de elevadas cargas de saúde; se anelas pelo pântano pútrido, habitarás regiões pestilentas nas tuas paisagens interiores.

Diante dos irmãos desencarnados em aflição, distende o sentimento de compaixão e de solidariedade, envolvendo-os nas dúlcidas vibrações da prece intercessória.

O verdadeiro cristão está sempre vigilante em relação ao compromisso de amor e de servir. Não escolhe onde nem quando cooperar, permanecendo activo em todos os seus momentos. A sua é a alegria de produzir no bem e de auxiliar a todos quantos se encontram na retaguarda.

O pensamento é fonte de vida e responde conforme a vibração mental que lhe é dirigida.

Quem não aprende a agradecer, não adquire valores para ser feliz.







Agradece, portanto, tudo que tens ou que te falta e a todos que te cercam.

Agradece o sol e a chuva que te proporcionam abundância de pão e de harmonia nas paisagens da Natureza.

Agradece a mão que se te dirige para apontar-te caminhos ou segurar-te na rampa da queda, evitando-te a defecção ou fracasso.

Aprende a agradecer, não apenas através de palavras, mas principalmente, por meio de fidelidade a quem te concede amizade e carinho, enriquecendo tuas horas com as concessões do progresso.

Agradece ao teu corpo a oportunidade de crescimento espiritual, dele cuidando com respeito e atendendo-o nas suas necessidades de evolução, ao tempo em que propicia maior campo para a cultura da inteligência e das emoções, ampliando as tuas horas no planeta que te serve de colo de mãe.

Agradece a educação que recebeste, aureolando-te de informações preciosas para a existência e abrindo-te espaços para o entendimento dos deveres que a reencarnação enseja.

Agradece a bondade e a rudeza com que sejas tratado, porque cada qual desempenha um papel importante na construção da tua personalidade e na definição dos teus rumos.
Agradece a luz do dia e a sombra da noite, encarregadas respectivamente de finalidades especiais na construção da vida terrestre.

Agradece ao amigo e ao inimigo a sua existência, retribuindo em bondade tudo quanto recebas de um ou de outro. Certamente amarás mais ao amigo, o que é natural, sem que se te faça necessário odiar o inimigo. O facto de não lhe desejar mal nem lhe retribuir as ofensas recebidas já representa nobre expressão do amor.

Agradece os sentidos de que estás constituído, mediante os quais podes manter contacto com o Universo e descobres suas maravilhas.

Agradece as horas de reflexão e de tensão, porque ambas te constituem elementos de fortalecimento moral.

Agradece os limites que te caracterizem, porque, através deles, irás descobrindo as finalidades da vida, enquanto desenvolverás novas fontes de informação e de consciência.

Agradece toda e qualquer expressão do bem que te chegue, sem o qual dificilmente te enriquecerias de luz e progresso.

Agradece a paz e a luta que se alternem durante os teus dias.







Fossem apenas de paz todos eles e perderias o significado, e se apressassem apenas em pelejas, a exaustão retiraria os incentivos para prosseguires, por desaparecimento de finalidade.

Nunca te canses de agradecer, seja qual for a circunstância em que encontres, servindo ao bem ou sofrendo as injunções educativas.

Quando Jesus recomendou o amor até mesmo aos inimigos, estimulou a gratidão por todas as concessões que a vida oferece aos viajantes humanos.

Ele mesmo agradeceu a Deus todos os tesouros que Lhe foram concedidos para o messianato que veio realizar e conseguiu desincumbir-se com superior qualidade de êxito, porque se fez a verdadeira representação do amor.

O hábito doentio de elaborar pensamentos perniciosos gera construções profundamente perturbadoras, que se transformam em tormentos incessantes na casa mental, agredindo as tecelagens delicadas do aparelho cerebral.

Anseios que não são concretizados na esfera física, não poucas vezes, constituem apelos do pensamento que exorbita nas suas necessidades, produzindo construções infelizes das quais ressumam com frequência as emanações morbíficas.

Os vícios mentais são verdadeiros algozes da alma humana, que devem ser combatidos com veemência, recriando-se outras ideias de natureza harmónica e saudável.

Indispensável pensar correctamente, a fim de construir situações agradáveis e compensadoras, que se transformam em campos de alegria de viver.

Desse modo, necessitas de corrigir os hábitos mentais, substituindo com segurança aqueles que são perversos, doentios e sensuais por outros de natureza edificante, que te possam enriquecer de bem-estar e saúde, fortalecendo-te o ânimo para a luta e as resistências morais para a vivência saudável.

Sempre que te ocorram pensamentos destrutivos, chocantes e aberrantes, transfere-te de imediato para outros que lhes sejam opostos, aclimatando-te a outras áreas de vibrações interiores.

Habitua-te, portanto, a pensar bem, a fim de que o Bem se te instale na mente e se derrame pelo coração através dos teus lábios, que ensinem e orientem e das tuas mãos, que socorram e dignifiquem.







Londres, Inglaterra, 11 de Junho de 2001.

pelo Espírito Joanna de Ângelis, médium Divaldo Pereira Franco
livro: Nascente de Bênçãos


Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/meditacao-diaria/reflexoes-50008/#ixzz2yD8FYXdZ

Por que as pessoas entram na sua vida?



Por que as pessoas entram na sua vida?





Por que as pessoas entram na sua vida?

Pessoas entram na sua vida por uma "Razão", uma "Estação" ou
uma "Vida Inteira".

Quando você percebe qual deles é, você vai saber
o que fazer por cada pessoa.






Quando alguém está em sua vida por uma "Razão"... é, geralmente, para suprir uma necessidade que você demonstrou. Elas vêm para auxiliá-lo numa dificuldade, te fornecer orientação e apoio, ajudá-lo física, emocional ou espiritualmente. Elas poderão parecer como uma dádiva de Deus, e são! Elas estão lá pela razão que você precisa que eles estejam lá. Então, sem nenhuma atitude errada de sua parte, ou em uma hora inconveniente, esta pessoa vai dizer ou fazer alguma coisa para levar essa relação a um fim. Ás vezes, essas pessoas morrem. Ás vezes, eles simplesmente se vão. Ás vezes, eles agem e te forçam a tomar uma posição. O que devemos entender é que nossas necessidades foram atendidas, nossos desejos preenchidos e o trabalho delas, feito. As suas orações foram atendidas. E agora é tempo de ir.




Quando pessoas entram em nossas vidas por uma "Estação", é porque chegou sua vez de dividir, crescer e aprender. Elas trazem para você a experiência da paz, ou fazem você rir. Elas poderão ensiná-lo algo que você nunca fez. Elas, geralmente, te dão uma quantidade enorme de prazer... Acredite! É real! Mas somente por uma "Estação".





Relacionamentos de uma "Vida Inteira" te ensinam lições para a vida inteira: coisas que você deve construir para ter uma formação emocional sólida. Sua tarefa é aceitar a lição, amar a pessoa, e colocar o que você aprendeu em uso em todos os outros relacionamentos e áreas de sua vida. É dito que o amor é cego, mas a amizade é clarividente. Obrigado por ser parte da minha vida.






Pare aqui e simplesmente SORRIA.

"Trabalhe como se você não precisasse do dinheiro,
Ame como se você nunca tivesse sido magoado, e dance como
se ninguém estivesse te observando."

"O maior risco da vida é não fazer nada."



Martha Medeiros


Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/meditacao-diaria/por-que-as-pessoas-entram-na-sua-vida/#ixzz2yD818y00

Batatas podres

Batatas Podres

O professor de religião pediu aos seus alunos que levassem batatas e um saco plástico à aula e escrever nas batatas o nome de cada pessoa de quem sentiam mágoas ou tivessem ressentimentos. Uma batata para cada nome.
Pediu, também, para colocar as batatas dentro do saco plástico e guardá-las na mochila, junto com seus livros e cadernos.
A tarefa consistia em levar as batatas a todos os lugares onde fossem, por tempo indeterminado, até que o professor os autorizasse a se livrar delas.
Naturalmente, elas foram-se deteriorando. Além do peso, logo, também o mau cheiro começou a incomodar os alunos, até o ponto em que não agüentarem mais:
- Professor, por favor, não dá mais. Podemos jogar esse lixo fora?
- Sim, podem jogar as batatas fora, mas, se junto com elas vocês também não jogarem fora toda a mágoa e ressentimentos que elas representam, o peso e o mau cheiro não sairá de seus corações.


Leia mais lindas mensagens acessando o Site Mensagem Espíritahttp://www.mensagemespirita.com.br/md/ad/batatas-podres